Novo pente-fino é iniciado pelo INSS – a ação tem objetivo de encontrar benefícios irregulares

Segurados convocados tem o prazo de 30 dias para apresentar defesa prévia após comunicado

O Ministério do Trabalho e Previdência publicou no Diário Oficial da União do 22 de setembro o que podemos considerar o maior pente-fino da história do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Apesar de ser a maior operação de revisão dos benefícios do INSS, não há motivo para alarde, afinal, o segurado incluído na lista não perderá o benefício de imediato e nem mesmo significa que terá o benefício suspenso.

O segurado convocado para perícia deverá apenas apresentar as informações divergentes encontradas pelo INSS para ficar comprovado que não houve erros na concessão do benefício.

É importante lembrar que o Ministério do Trabalho e Previdência frequentemente realiza análises nos benefícios pagos pelo INSS para identificar possíveis fraudes e irregularidades.

Quem está na mira do novo pente-fino?

O texto publicado no Diário Oficial da União informa que estão na mira os cidadãos que recebem:

  • Auxílio-doença;
  • Aposentadoria por invalidez;
  • Benefício de Prestação Continuada (BPC).

Para o auxílio-doença e a aposentadoria por invalidez, a revisão ocorrerá nos benefícios que já estão a mais de seis meses sem passar por perícia e que não apresentam indicação de reabilitação ou de alta programada.

Já para os cidadãos que recebem o Benefício de Prestação Continuada, serão analisados os benefícios que não passam por processo de revisão a mais de dois anos.

Como descobrir se estou no novo pente-fino?

Muitos segurados ficam preocupados com a notícia de que haverá um novo pente-fino e como descobrir a tempo de não ter o benefício suspenso.

No entanto, o segurado deve ficar tranquilo, pois o próprio INSS tem a obrigação de informar o segurado que o mesmo está passando por uma “investigação” de possível irregularidade na concessão do benefício.

Dessa maneira, o INSS acaba comunicando o segurado de diversas formas, como:

  • Através de SMS (mensagem de texto de celular);
  • Pela plataforma Meu INSS;
  • Por correspondência;
  • Notificação no caixa eletrônico do banco onde o segurado recebe o benefício mensal.

Após o recebimento da notificação de que o seu benefício está sob “investigação” você terá um prazo de 30 dias para apresentar sua defesa prévia.

Nessa defesa prévia, você deverá explicar e adicionar a documentação solicitada pelo INSS para comprovar que o seu benefício não possui irregularidades.

Segurados que perderem o prazo para apresentação da defesa prévia terão o benefício suspenso até que seja apresentada a documentação solicitada.

Caso se passe mais de 30 dias após a suspensão do benefício e o segurado não apresente sua defesa, o seu benefício então será cancelado.

Fonte: Jornal Contábil

PRESSIONE AQUI AGORA MESMO E FALE JÁ CONOSCO PARA MAIS INFORMAÇÕES!

Classifique nosso post post

Compartilhe nas redes!

Você, caro leitor, fique à vontade em utilizar nosso conteúdo em seu blog, site e redes sociais, para isso basta citar a fonte e o site (www.menezesbonato.adv.br).

Deixe um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado só para você!
Essa revisão refere-se aos pagamentos de benefícios por incapacidade que…
Cresta Posts Box by CP

AVISO DE GOLPE

Logo New - Menezes Bonato Advogados Associados

Prezados clientes, informamos que tem pessoas usando indevidamente o nome do nosso escritório e até o nome dos advogados como por exemplo, se passando pela Dra. Danielle, onde o fraudário impostor está solicitando que seja feito o pagamento de algumas taxas para que seja liberado os valores do processo, a foto desta pessoa está com o logo do escritório e eles se apresentam como Dra. Danielle Ribeiro de Menezes Bonato em alguns momentos.

Informamos que não enviamos mensagem solicitando pagamentos, TED ou transferência e pedimos que caso venha ocorrer essa situação para imediatamente entrarem em contato conosco nos telefones do escritório (19) 3444-8624 / 3713-8614.

Agradecemos a compreensão.

Menezes Bonato Advogados