PL 3.914/2020 tem gerado discórdia por diversos aspectos

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

INSS: Associação Nacional dos Médicos Peritos declara ser contra a PL 3.914/2020

Médicos se manifestam contrariamente a decisão de cobrar o pagamento antecipado pela perícia médica em casos de ações movidas contra o INSS.

A medida prevê que aqueles que entrarem com ações judiciais na busca de contestar as sentenças da Previdência Social deverão arcar, de maneira antecipada, com a perícia médica judiciais. Os valores das perícias ficam na faixa de R$200,00.

Muitas pessoas poderão ser prejudicadas pela proposta, cidadãos comuns poderão ter o acesso à Justiça restringido graças a medida que determina o pagamento antecipado. Médicos que compõe a Associação Nacional de Peritos Médicos (ANMP) discordam da decisão.

Projeto de Lei dificultará a vida do cidadão comum

O texto obteve o assentimento da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania pertencente a Câmara dos Deputados em julho deste ano.

A PL 3914/2020 determina a obrigação do pagamento antecipado das perícias médicas nas situações onde o sujeito entrou com ação judicial para questionar os vereditos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Segundo Francisco Ferreira Cardoso Alves, presidente da ANMP, afirmou que o Projeto de Lei dificultará a vida do cidadão que precisar recorrer à Justiça.

O IBDP (Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário) informou que o valor médio da perícia médica judicial é de R$200,00 o custo é considerado alto para as famílias com rendas mais baixas. Caso um membro de uma família, onde a receita mensal chega a três salários mínimos, tivesse que recorrer a uma decisão do INSS deveria desembolsar cerca de R$2.900,00.

Conforme a diretora do IBDP, Jane Berwanger, a medida é cruel dado que os contribuintes que entram com ações judiciais para contestar benefícios, estão vivendo dias de vulnerabilidade onde tratamentos de saúde estão sendo realizados e dinheiro gastos com os custos dos medicamentos.

Com base no parecer das Comissões de Direito Previdenciário da Organização dos Advogados do Brasil (OAB), a PL tem como objetivo restringir o acesso do contribuinte à Justiça, a medida impossibilitaria o segurado de conseguir a resolução através do Poder Judiciário, em desacordo com a máxima proteção social que é um princípio constitucional.

O presidente da ANMP ainda afirmou que a PL confundia a esfera pública com a privada, e os custos das perícias médicas em ações judiciais deveriam ser subsidiados pelo Poder Judiciário e pela Previdência Social que exige o procedimento.

Se a providência obtiver o assentimento do Senado Federal, contribuintes, pensionistas e aposentados poderão ter que arcar com os custos, o que representará um grande desgaste das receitas dos cidadãos comuns.

Fonte: Jornal Contábil

PRESSIONE AQUI AGORA MESMO E FALE JÁ CONOSCO PARA MAIS INFORMAÇÕES!

Compartilhe nas redes!

Você, caro leitor, fique à vontade em utilizar nosso conteúdo em seu blog, site e redes sociais, para isso basta citar a fonte e o site (www.menezesbonato.adv.br).

Deixe um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Recomendado só para você!
Para uma contextualização, estes atrasados são resultantes de ações judiciais…
Cresta Posts Box by CP
Open chat