Acúmulo de benefícios: conheça as regras que o INSS criou sobre o tema

Um grupo específico de segurados deverá informar ao INSS, se recebe um outro benefício ou não.

Como bem se sabe, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) permite o acúmulo de até dois benefícios. Isto é, cidadãos inscritos na Previdência Social podem receber dois proventos da autarquia, ao mesmo tempo, todavia, a possibilidade é sujeita a algumas regras.

Atualmente, o INSS concede pagamentos mensais a mais de 30 milhões de segurados amparados por aposentadorias, pensões, auxílios e outros benefícios do INSS. Acontece que deste contingente, a maioria recebe o equivalente a um salário mínimo (R$ 1.212 em 2022), entretanto, o instituto permite a possibilidade de acumular outro benefício, caso a pessoa tenha direito.

No entanto, como previamente dito, o segurado que possui o direito de receber dois benefícios em simultâneo, deve respeitar algumas normas que, por sua vez, é voltada ao valor dos proventos concedidos. Além disso, também é preciso estar atento a uma nova regra voltada a um grupo específico de beneficiários.

Acúmulo de benefícios 

Por vezes, os segurados do instituto ficam habilitados a receber mais de um benefício, como é o caso de um(a) viúvo(a) que recebe a pensão por morte e atende aos requisitos para se aposentar.

Neste exemplo, será concedida a aposentadoria e a pensão por morte, ao mesmo tempo, todavia, apenas um dos benefícios mantém o valor integral, o outro sofrerá uma redução. Em geral, a diminuição será aplicada no provento menos vantajoso (de menor valor), enquanto o benefício mais alto permanece com a quantia cheia.

Nova regra do INSS

Ainda no último mês, o INSS anunciou uma regra voltada aos cidadãos amparados pela aposentadoria por invalidez. Conforme a portaria, segurados enquadrados neste perfil devem enviar uma autodeclaração informando se são contemplados por outro benefício, além da aposentadoria.

A nova norma vale tanto para benefícios intermediados pelo INSS, quanto para aqueles pertencentes a outro regime da previdência. O documento deve ser encaminhado para a autarquia após a concessão do benefício, em até 60 dias. Antes da portaria, o envio ocorria durante o processo de análise da aposentadoria.

O envio da autodeclaração deve ser feito através dos canais oficiais do INSS, são eles:
  • Plataforma “Meu INSS” (site ou aplicativo);
  • Central de atendimento pelo número 135;

Importante! Caso o documento não seja enviado dentro do prazo de 60 dias, a aposentadoria por incapacidade será suspensa. Além disso, se após 6 meses, a obrigação ainda não tiver sido cumprida, haverá o cancelamento do benefício.

Fonte: Jornal Contábil

PRESSIONE AQUI AGORA MESMO E FALE JÁ CONOSCO PARA MAIS INFORMAÇÕES!

Classifique nosso post post

Compartilhe nas redes!

Você, caro leitor, fique à vontade em utilizar nosso conteúdo em seu blog, site e redes sociais, para isso basta citar a fonte e o site (www.menezesbonato.adv.br).

Deixe um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado só para você!
A Lei Complementar n° 150 trouxe muitas mudanças para a…
Cresta Posts Box by CP

AVISO DE GOLPE

Logo New - Menezes Bonato Advogados Associados

Prezados clientes, informamos que tem pessoas usando indevidamente o nome do nosso escritório e até o nome dos advogados como por exemplo, se passando pela Dra. Danielle, onde o fraudário impostor está solicitando que seja feito o pagamento de algumas taxas para que seja liberado os valores do processo, a foto desta pessoa está com o logo do escritório e eles se apresentam como Dra. Danielle Ribeiro de Menezes Bonato em alguns momentos.

Informamos que não enviamos mensagem solicitando pagamentos, TED ou transferência e pedimos que caso venha ocorrer essa situação para imediatamente entrarem em contato conosco nos telefones do escritório (19) 3444-8624 / 3713-8614.

Agradecemos a compreensão.

Menezes Bonato Advogados