Informações importantes que vão ajudar a entender mais sobre aposentadoria por invalidez

Conheça alguns detalhes essenciais que muitos segurados desconhecem sobre a aposentadoria por invalidez.

É de suma importância que brasileiros, enquanto contribuintes, conheçam os seus direitos, a começar por entender a existência de modalidades específicas da aposentadoria. Isto inclui regras, garantias, isenções e outros aspectos relacionados à Previdência Social que muitos desconhecem.

Nesta linha, é preciso entender que o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), hoje, oferece diferentes categorias de aposentadoria e, dentre elas, está a chamada aposentadoria por incapacidade permanente ou aposentadoria por invalidez que será o tema central deste artigo.

Sobre o benefício

A aposentadoria por invalidez é direcionada aos segurados que ficaram incapazes de exercer suas atividades laborais, devido a alguma doença ou acidente. Em resumo, deve ser constatado que a pessoa não possui mais condições de trabalhar permanentemente para receber o benefício.

Como este benefício diz respeito a um provento concedido a partir de uma incapacidade, o segurado deverá comprovar que, de fato, não há condições para labor. Isto é feito através da perícia médica obrigatória do INSS.

Caso o médico perito ateste a existência da incapacidade permanente, o trabalhador é direcionado a aposentadoria. Em casos nos quais a condição é considerada temporária, o cidadão recebe o benefício conhecido como auxílio-doença, até que ele esteja apto a retornar ao trabalho.

Cabe salientar que durante o recebimento do auxílio-doença, são realizados exames periciais periódicos, de modo que eventualmente um novo parecer pode considerar a incapacidade permanente, dando assim direito a aposentadoria.

Regras da aposentadoria por invalidez

De modo breve, para receber a aposentadoria por incapacidade, é necessário que o contribuinte se enquadre nos seguintes requisitos:

  • Comprovar a incapacidade permanente;
  • Possuir qualidade de segurado;
  • Cumprir com a carência mínima de 12 contribuições mensais.
Cabe destacar que a carência pode ser dispensada, a depender do caso. Em suma, o critério não será exigido em situações nas quais a incapacidade se originou de acidentes de trabalho ou doenças graves previstas na legislação que regulamenta o tema.

Como comprovar a incapacidade?

O médico irá avaliar a condição do segurado, junto a documentos médicos que precisam ser apresentados no exame pericial do INSS. É essencial que a documentação esteja atualizada, em bom estado, e demonstre todo diagnóstico referente a incapacidade.

Veja alguns exemplos de documentos que podem ser anexados ao pedido:

  • Laudo médico;
  • Atestado;
  • Relatório;
  • Exames;
  • Receituários;
  • Entre outros.

O recomendado é reunir o máximo de documentos possível, para assim elevar as chances de êxito no pedido.

Direitos do aposentado por invalidez

Conheça, ao menos, 4 garantias direcionadas ao aposentado por invalidez:

  • FGTS: mediante ao recebimento da aposentadoria, o segurado ganha o direito de resgatar o valor integral presente na conta do fundo;
  • PIS/Pasep: outro benefício trabalhista que pode ser resgatado caso haja saldos retidos, são os valores referente aos programa PIS (Programa de Integração Social) ou/e Pasep (Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público);
  • Adicional de 25%: diz respeito a um acréscimo de 25% no valor da aposentadoria por invalidez. O adicional somente é concedido aos beneficiários que necessitarem de assistência permanente de um terceiro, para a realização das atividades do dia a dia (Alimentação, locomoção e higiene);
  • Isenção de imposto:  em casos de doenças graves listadas na lei, os aposentados ficarão isentos de arcar com as cobranças do Imposto de Renda.

Doenças graves que dispensam a carência 

Existe um grupo de doenças previstas na legislação que dispensam a carência de 12 meses, além de garantir a isenção do Imposto de Renda.  A lista agora soma 17 enfermidades mediante a inclusão do Acidente Vascular Encefálico Agudo e o Abdome Agudo Cirúrgico.

Veja a lista completa:

  1. Cegueira;
  2. Paralisia Irreversível e Incapacitante;
  3. Cardiopatia Grave;
  4. Doença de Parkinson;
  5. Espondilite Anquilosante;
  6. Tuberculose Ativa;
  7. Hanseníase;
  8. Transtorno Mental Grave – Com quadro de Alienação Mental;
  9. Neoplasia Maligna;
  10. Nefropatia Grave;
  11. Doença de Paget (Osteíte Deformante);
  12. Esclerose múltipla;
  13. Síndrome da Deficiência Imunológica adquirida (Aids);
  14. Contaminação por radiação;
  15. Hepatopatia Grave;
  16. Acidente Vascular Encefálico Agudo;
  17. Abdome Agudo Cirúrgico.

Fonte: Jornal Contábil

PRESSIONE AQUI AGORA MESMO E FALE JÁ CONOSCO PARA MAIS INFORMAÇÕES!

Classifique nosso post post

Compartilhe nas redes!

Você, caro leitor, fique à vontade em utilizar nosso conteúdo em seu blog, site e redes sociais, para isso basta citar a fonte e o site (www.menezesbonato.adv.br).

Deixe um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Recomendado só para você!
Geralmente, as empresas pagam a primeira parcela no dia 30…
Cresta Posts Box by CP

AVISO DE GOLPE

Logo New - Menezes Bonato Advogados Associados

Prezados clientes, informamos que tem pessoas usando indevidamente o nome do nosso escritório e até o nome dos advogados como por exemplo, se passando pela Dra. Danielle, onde o fraudário impostor está solicitando que seja feito o pagamento de algumas taxas para que seja liberado os valores do processo, a foto desta pessoa está com o logo do escritório e eles se apresentam como Dra. Danielle Ribeiro de Menezes Bonato em alguns momentos.

Informamos que não enviamos mensagem solicitando pagamentos, TED ou transferência e pedimos que caso venha ocorrer essa situação para imediatamente entrarem em contato conosco nos telefones do escritório (19) 3444-8624 / 3713-8614.

Agradecemos a compreensão.

Menezes Bonato Advogados